Primeiras impressões de Santiago



Se você acompanha nossa fanpage, já sabe que estive 4 dias em Santiago, aproveitando um feriadão que teve aqui na Argentina (graças a Cristininha que deu sexta como "feriado puente"). A idéia desse primeiro post é fazer um panorama das primeiras impressões que tive de Santiago e depois, vamos colocando outros posts com os pontos turísticos e outras curiosidades da cidade.

Saindo aqui de Buenos Aires, a distância é pequena... Levamos 1h e 40 min para pousar em terras chilenas. Fomos pela LAN, pela primeira vez, e gostamos muito do serviço dessa companhia.

Chegamos em Santiago na quinta pela manhã, trocamos um pouco do dinheiro no aeroporto mesmo e depois tomamos o ônibus que nos deixou próximo ao metrô, depois descemos na estação próxima as nosso hotel Ibis (Providencia).

Já no caminho até o metrô é possível estranhar um pouco a cidade, pois o trajeto pega, justamente, alguns bairros feinhos, com muitas pichações, e o mais impressionante: muitos cachorros abandonados. Isso mesmo, é possível ver muitos cachorros de rua por toda a cidade. Deixa a impressão de que pouco se faz em relação à proteção dos animais. Fiquei um pouco triste com isso, pois como amo cachorros, ficava com pena de todos que via pelas ruas, e repito, eram muitos! (Veja uma reportagem sobre isso).



Então, logo estranhei a cidade, pois a idéia que tinha de Santiago era de uma cidade bem parecida à Buenos Aires, mas na verdade a sensação que me dava era de estar em algum país mais latino como Colombia ou Venezuela. E até que minha impressão se confirmou, pois conversando com uma amiga Colombiana que também esteve lá no final do ano passado, descobri que ela também achou Santiago muito mais parecida a Bogotá que a Buenos Aires.

O centro histórico até que se parece ao centro de Buenos Aires e até, diria, do Rio. Pois as influências da arquitetura são as mesmas: a Europa, principalmente a França. Mas as demais áreas da cidade têm um Q mais latino.




Outra coisa que ficou bem marcada é o fato de tudo funcionar bem tarde. O comércio abre, teoricamente, às 10h, mas nem todas as lojas estarão abertas a essa hora. Então nem adianta acordar muito cedo. Dá pra dormir mais um pouquinho.

Também há a dificuldade do dinheiro, pois os valores possuem muitos zeros... Tipo o nosso antigo cruzeiro, cruzado, cruzeiro novo ou sei lá o que... Então, um real vale, aproximadamente 220 pesos chilenos. Asi já viu! Se não levar a calculadora, vai acabar gastando demais, pagando caro de mais ou deixando de aproveitar a promoção. Eu sempre olhava o preço e calculava para saber se as coisas valiam a pena.



Além disso, o sotaque deles é mais complicadinho de entender. Eu que já estou acostumada a ouvir espanhol o dia inteiro nem sempre entendia o que eles falavam... Mas aos poucos você vai se acostumando, principalmente com os "ya".

Em relação ao povo, não tenho o que reclamar! São muito educados e prestativos. Sempre que pedíamos alguma informação, por exemplo de alguma rua, só faltava eles levarem a gente lá, pois sempre fazem questão de serem atenciosos e passar o máximo de informação possível. Gostei mesmo.

Bem, mas por enquanto é isso. Depois trago mais informações sobre a cidade em si!

Besos!



Seguidores:

Postagens mais visitadas