Ushuaia - 1o. dia

Madrugamos para estar antes das 5h da manhã no aeroporto de Ezeiza, Buenos Aires, para pegar o voo das 5:45h direto a Ushuaia. Por volta das das 9h da manhã, chegamos ao aeroporto de Ushuaia. A paisagem quando já estamos próximos ao aeroporto é linda! Já dá um panorama das belas paisagens que veremos durante a viagem. Apesar de pequeno, com apenas uma pista, o aeroporto é lindo, todo de madeira.



De lá, pegamos um remis até o hotel. Pagamos 70 pesos, mas só no final da viagem descobrimos que se fôssemos de taxi seria bem mais barato... Enfim.

Nós nos hospedamos num local chamado "Cabañas Onashin", um pouco distante do centro, mas bem próximo ao Gracial Martial. Entre os locais que pesquisamos, achamos que era o melhor em relação ao custo e à proximidade do centro. Os que eram relamente no centro custavam caríssimo, lembre-se que Ushuaia recebe muitos turistas da Europa e dos EUA e por isso os preços são pensados para eles e não para nós, pobres mortais, rs. Esse ficava a uns 30 minutos do centro ou custava uns 30 pesos de táxi. Além disso, a cabana vem equipada com geladeira e fogão. A que ficamos, tinha espaço para até 5 pessoas. Quem estiver interessado, é só entrar no link. Fomos muito bem recebidos, o dono era muito atencioso, não tivemos nenhum problema.

Deixamos as coisas no hotel e fomos ao centro nos familiarizar com o local e passar no escritório de informação turística.

Há dois locais de informação turística, um na rua principal a "San Martín" e o outro próximo ao porto, onde saem os barcos de passeio. Porém o da rua principal estava fechado, pois tem um horário diferenciado, assim que fomos até o porto. Lá nos deram o mapa da cidade e algumas dicas de passeios. Ali próximo já estão os escritórios das agências que fazem os passeios de barcos, e com isso, fomos nos informar sobre a excursão até a pinguinera, que era o que realmente queríamos conhecer.

A única agência que faz esse passeio é a PIRATUR, tudo bem que o nome não é tão legal, muito menos o preço, mas o passeio é maravilhoso! Pagamos 1320 pesos para duas pessoas. :( Mas lá é assim, não tem passeio baratinho, tem que abrir a carteira! E marcamos o passeio para aquele dia mesmo, só que à tarde.

No horário marcado fomos ao local marcado para pegar o ônibus que nos levaria até a estancia (uma espécie de fazenda) Harberton, quase duas horas de viagem. Na estancia existe um museu marinho, com esqueletos de várias espécies e a explicação do guia é o que faz o recorrido ser interessante. Depois disso, pegamos um bote que em 15 minutos nos deixa na ilha Martillo, habitar natural de uma determinada espécie de pinguins. Durante uma hora e meia, caminhamos, tiramos fotos e nos maravilhamos tanto com a paisagem como com essas simpáticas criaturinhas. Além disso, nos acompanha o guia que sempre traz informações sobre estas e outras espécies, além de cuidar para que nossa presença não seja um incomodo para os verdadeiros donos da ilha. É uma experiência única! Dá vontade de levar um pinguim pra casa! Ah, e só um conselho, se for, leva um bom casaco porque venta muito e é aquele ventinho gelado! Passei muito frio!






















Chegamos já mais de 9h da noite em Ushuaia e, por incrível que pareça, nessa época do ano, ainda estava bem claro. Só costuma escurecer por volta de 10:30h. Compramos uma pizza e fomos para o hotel descansar para o dia seguinte! 

Besos!






Veja também:




NOSSOS PARCEIROS:


Seguidores:


Estoque de fotos


Stock Photos & Images

Postagens mais visitadas