Europa low cost

Começo aqui uma série de posts com dicas de uma viagem low cost para a Europa. Eu e meu marido sempre tivemos o sonho de conhecer o velho continente, mas para pobres mortais como nós (e a maioria das pessoas) isso parecia um sonho distante.   Porém, vimos que com muito esforço e planejamento é possível tornar o sonho realidade.

                O primeiro de tudo foi planejar em que período íamos tirar férias no trabalho, pois deve-se pensar é que há grandes diferenças de preço entre alta e baixa temporadas.  Decidimos ir durante o inverno pois, por ser baixa temporada, é possível encontrar bons preços em passagens, hospedagem e serviços.

                Claro que há vantagens e desvantagens em cada temporada, assim é preciso pesar os pontos mais importantes para você. A baixa temporada tem como vantagem:

 - o preço da viagem como um todo;
 - poucas filas nos pontos turísticos;


mas tem como desvantagem:

- as baixas temperaturas, principalmente para os turistas que passam o dia inteiro na rua;
- o fato haver reformas em alguns pontos turísticos.
 Porém, o fato de não perder muito tempo em filas foi decisivo, principalmente para uma viagem tão corrida.

                Para conseguir bons preços, é preciso planejar tudo com antecedência.  Compramos a passagem uns 5 meses antes, justo quando começaram a aparecer boas promoções de passagens aéreas. Optamos por uma promoção da Alitalia. Assim que confirmamos a compra dos bilhetes, começamos a pesquisar os hotéis, que também devem ser reservados com antecedência para conseguir um bom desconto.

                Tivemos alguns problemas com a Alitalia, mas acho que voltaríamos a voar com a companhia. Escrevo aqui os pontos positivos e os negativos e a avaliação fica a critério de vocês... Começo pelos negativos: comprar pelo site da Alitalia é um pouco complicado, pois a compra não é feita de imediato, é preciso esperar que eles entrem em contato; tivemos atraso de quase 1 hora no vôo de ida, mas mesmo assim chegamos no horário previsto;  quando chegamos em Milão, descobrimos que nossa mala havia ficado em Roma, mas como iríamos para Roma no dia seguinte, pedimos que a deixassem lá para que depois pudéssemos buscar (tudo bem, esse seria um ótimo motivo para falar mal da Alitalia...). Já como pontos positivos: a tripulação, apesar de termos visto muita gente se queixando do contrário na internet, foi bem atenciosa e simpática; o entretenimento durante o vôo era bom, havia vários tipos de filmes para assistir, além de séries e joguinhos; a comida também estava bem servida e era possível buscar batatinhas, biscoitinhos e bebidas durante todo o vôo. Enfim, acho que se fosse dar uma nota, daria um 6.



                Depois de comprar a passagem, o difícil foi decidir quais cidades visitar... A partir de uma série de critérios, escolhemos:  Roma, Barcelona, Madrid e Lisboa (em outros posts falarei melhor sobre cada uma). Recomenda-se calcular, como mínimo, 3 ou 4 dias para cada cidade, menos  que isso não vale a pena. Para irmos de um lugar para outro, optamos pelas companhias aéreas low cost, pois têm preços baixos e várias opções de horários. As duas pelas quais viajamos foram Easy Jet  e Vueling (que é da Iberia). Muiiitttaa atenção na hora de comprar pelo site já que o preço é somente das passagens e dá direito a levar apenas uma mala de mão de até 8 kg e que esteja dentro das especificações de tamanho e dimensão exigidos pela empresa. Se quiser despachar mala, é preciso comprar essa opção no site (não precisa ser feito no momento da compra das passagens) que sai, em média, 12 euros para uma mala de 20 kg. Como estávamos numa viagem low cost, levamos somente uma mala para despachar e estávamos sempre de olho no peso. Ah, e se quiser marcar assento também paga, então preste atenção e escolha o que for melhor para você. Para ter os melhores preços e horários, fizemos várias pesquisas, cheguei a montar uma tabela, e ao final, nosso roteiro ficou assim: Milão – Roma – Barcelona – Lisboa – Madrid – Milão.
 



                Em relação ao hotel, decidimos ficar no Ibis (menos em Barcelona), pois já conhecemos a rede, que geralmente tem preços acessíveis, para evitar de dá o azar de chegar à Europa e ter que mudar de hotel ou até mesmo descobrir que ele não existe... A rede Ibis (http://www.ibis.com) mantem um bom padrão de atendimento, os hotéis são muito parecidos entre si. Os quartos têm um bom tamanho, tv por assinatura, aquecedor e ar condicionado, limpeza, conforto, internet wifi... Só não inclui café da manhã na diária, porém você pode pagar uma taxa no hotel e ter acesso a ele. Já em Barcelona, arriscamos ficar num hotel chamado Melon District (http://www.melondistrict.com), pela proximidade do metrô e foi um acerto, pois o preço estava de acordo com o serviço. O quarto era bem pequeno, em relação ao Ibis, e a internet não era tão boa. Mas havia uma cozinha por andar, caso quisesse usar seus dotes culinários e os recepcionistas eram bem atenciosos, sempre com dicas e explicações do que fazer e como chegar aos lugares.




                Nossa, escrevi muito! E ainda tem muito mais... rsrsrs. 

Postagens mais visitadas